Wednesday, February 28, 2007

Pegue todas as suas promessas e enfie no olho do seu cú. Não venha me contar as coisas tentando limpar sua consciência, profanando a verdade ao utilizar-la para se perdoar. Toda a eternidade que jurou passar me amando desejo que passe no inferno. Meus olhos te procuram em todas as esquinas, quando te encontrar eu fujo, atravesso, assim como teu corpo fingia o meu não existir quando se deitava com outras.

Por que me enganou jurando que era meu? Não pedi todas essas mentiras, e por isso acreditei em todas. Agora me deito com um outro e ainda acredito sentir o teu cheiro sempre que acordo. Minha mente engana o meu corpo te colocando ao meu lado seja lá em que cama você esteja. Só queria teu carinho, não precisava acreditar ser a única que teria o seu amor. Mas até nisso você me fez acreditar. Fico imaginando que sempre era a segunda da noite. Com quantas mulheres você trepava antes de chegar na minha cama? Uma, duas, três, quatro... Você pedia minhas mentiras com os olhos, com seu sexo, com seu suor. Só fiz o que teu corpo me implorava para gozar. Tua felicidade era ser meu cárcere e não meu gozo. Me tentava, trocava o prazer que me dava por minhas mentiras. Não uso a verdade para me sentir bem, a uso para te afastar de mim. Para te jogar longe, onde o cheiro de sua buceta não me tonteie a ponto de me fazer jurar amor com a mesma freqüência da minha respiração.

Você disse que me amava. Disse para te fazer gozar. Jurou ser meu. Você só ama família e propriedade. Me prometeu a eternidade. E foi uma eternidade até que conseguisse acordar. Tudo o que tenho é a verdade, e você me fez mentir, agora me acusa de ter jurado, prometido... Você e essa porra de corpo, esse cheiro, esses movimentos. Você me trouxe para a mentira, e somente a verdade me afasta de ti. Trepei com quantas consegui, nunca te amei, nunca fui teu, um segundo para mim era como uma eternidade quando era ao teu lado, quantas eternidade desperdicei com meu pau no meio de sua bunda!

Sim, agora quero outro. Sim, agora quero outra. Espero que seja feliz. Espero que você também. Esqueceu seu chapéu. E você o que é o amor. Quero ver você fodendo com seu próximo homem. Você é louco. Me deixa ver? Louco! Não vou me intrometer. Louco! Quero somente entender o que me pareceu tão bom a ponto de esquecer que nenhuma de vocês presta. Está parecendo o perdido do seu pai. Exatamente como ele. Vou largar o balé! Vou ficar com a casa. A casa é minha! Vai me deixar ver os dois transando? Louco. Então vou ficar na casa. Mas a casa é minha foda-se. Me machucou. Sai daqui. Para de me chutar. Sai! Escroto. Te amo. Mentira! Sim, eu sei, é mentira.

4 comments:

Tatis said...

Eu deveria ter raiva de você por ter me feito chorar.

Amei o texto. Dá vontade de copiá-lo e tatuá-lo aqui em mim. Sem saber de nada, tu quase escrevesse a minha biografia.

Bitt said...

Críticas? Não as farei por ora. Esperarei pelo próximo.

bitt said...

Ah, garoto!

Marilia said...

"Não pedi todas essas mentiras, e por isso acreditei em todas."

"Toda a eternidade que jurou passar me amando desejo que passe no inferno."

"Pegue todas as suas promessas e enfie no olho do seu cú."

"... E você o que é o amor."



é sempre assim?