Tuesday, November 27, 2012

refrescancia. inventando deuses e palavras

Acho que estou cismado com a origem. Cismado em duas partes. A parte que se importa e a parte que... a parte que já sabe. De onde vem? De onde vem? Galinha. Ovo. E vai tudo ficando incompreensível. Eu não medito. Eu rezo. Não ouço. Não vejo. Não sinto. Eu crio. Crio deuses. Crio amores. Desamores. Ilusões e desilusões. Ah, essas são as melhores. As desilusões. Como é boa a sensação de respirar novamente após um mergulho que começa refrescante e termina por sufocar. Se não sufocar e me levantar ainda na mais pura realização da refrescancia. Quando a água ainda toca de maneira mágica a minha pele. Então respiro e ouço meu deus (aquele que eu criei) gritar violentamente em minha cabeça: - Calma! Tem mar pra mais que terra.

1 comment:

filipe cabral said...

Foda! O criador e seu fôlego em cena novamente! Bom demais, cara!